16 abril, 2010

amado




"É tão misterioso, o país das lágrimas!"
(Saint-Exupéry)



Ponha-se o sol todas as vezes em que o amor despertar
neste breve coração, esculpido de instantes árduos e febris.
Cale-se ao som do mar em que despertas de teu sono pueril,
cercado de quimeras doces e gentis.

Tal rosto plácido imerso em tensas dores de viver em vão
submerso em saudades secas, desejos breves.

Contemple teus horizontes inertes, calados,
simples como a sombra deste amor meu
que divaga em ti e reside em teu imaginário redor.

8 comentários:

Mai disse...

Que ele desperte e como um sol se derrame nas manhãs.
belo.
bjo

Devir disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Devir disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Letícia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Edwaldo Generozo disse...

Gosto dessa foto que está no perfil.

Marí disse...

Como gosto de ler sua escritas*
gosto de ler e não entender, gosto de relê até entender,
gosto de ler e enfim entender... (:

Mui belo,
mui bela*

disse...

E têm coisas que a gente nem precisa entender...