28 março, 2013

Das coisas que esperam



Algumas coisas esperam por você. Fuja, ignore ou supere. Teu sentimento de controle aguarda inconsciente pelo ridículo que se chama destino - este elemento místico, holístico e um tanto quanto cínico, te aguardando sorrateiro pelos becos da vida. Mas não é preciso acreditar em nada disso, apenas sente-se e filosofe acerca do amontanhado de coincidências infames que lhe ocorrem no decorrer dos dias. Sorria e continue ignorando se quiser preservar sua carteira de habilitação para a vida adulta, consciente e mercenária de um ser humano dentro dos padrões desejáveis. Ou então enfie o pé na jaca de uma vez, aceitando que a vida ri banguela de ti e suas tentativas insanas de se preservar dentro dos moldes que você acha que te cabem. Ela tem preguiça de você, te deixa abandonado pra ganhar tempo para o cochilo, e você corre, corre e pensa que se esconde. Ela sente pena e quando descansa o bastante te chama pra lida, da forma menos sutil que possa existir, como um despertador esquecido que é lembrado às quatro horas de domingo. Mas não há o que fazer. Tanto tempo poderia ser poupado, enquanto você se concentrava nos possíveis motivos para não encarar todo aquele sentimento tórrido que te entupia os poros e não tinha mais por onde se diluir dentro de ti. É triste ver que jogou todas aquelas sensações únicas no chão sujo da sua alma, pisando até que as matasse sufocadas por sua falta de forças, sua falta de fé. Ignorante de que aquilo vivia às custas do teu sangue pulsando em veias que quando menos se espera estarão frias e vazias, realmente sozinhas dentro de ti. Vida que nos põe de castigo te faz aceitar o amor na forma abstrata, tal como nasce dentro de cada um de nós. Ela nunca erra, o engano é todo nosso. 

2 comentários:

Gubez disse...

Lovely dissertaion.

Paixão disse...

Raio x de mim?