29 junho, 2016

Campo aberto

Em campo aberto
exponho a nudez
de um corpo alheio
Em viagem o vento
sobre o mar avança
Sertão adentro:
encontra-me
despida de alma,
coberta de pele
a versão original de mim
num avesso indiscreto.

Nenhum comentário: