28 maio, 2018

Versos siameses

Traço a reta inútil entre os círculos
Um desenho mais-que-imperfeito
Meu caminho linear entre os ciclos

Traço a linha intermitente do sorriso
O vislumbre de algum defeito
Pois que o céu emerge do abismo

Pois que o mar repousa indeciso
O entoar de um cântico insuspeito
Traço a ilha no horizonte incircunciso

Meu sulco oriundo de qualquer adaga
Um utensílio por mim eleito
Traço o risco que se corre e não apaga.

Nenhum comentário: